Uma breve homenagem

Hoje completa-se o primeiro ano da minha vida sem meu vovô. Sem ninguém me chamar de flor de maracujá. Será que onde o senhor está, você sabe o quanto eu penso no senhor todos os dias? E como falo de você pra todo mundo que eu conheço? E como queria te contar sobre o emprego novo, mostrar meus desenhos novos e contar que agora temos mais uma cachorrinha? Será que o senhor ia gostar da minha tatuagem de flor de maracujá que fiz em sua homenagem? O dia que eu encontrar o senhor novamente, vou ter tanta coisa pra te contar. Até lá eu vou sentir muita saudade do senhor, todos os dias. Eu sei que o senhor não gostava de me ver triste, então eu luto todo dia pra ser feliz. As vezes mais pelo senhor do que por mim mesma. Um beijo, vovô! Até daqui algumas décadas, se Deus quiser.

Compartilhe!

Deixe uma resposta